Acessibilidade:

LABORATÓRIO DA UFES PARA ATUAR COMO UMA CENTRAL ANALÍTICA ESPECIALIZADA NA SECAGEM E TORREFAÇÃO DO CAFÉ E NOS IMPACTOS DAS EMISSÕES GASOSAS SOB A QUALIDADE DE VIDA DOS AGRICULTORES CAPIXABAS - Instituição Federal de Ensino Alegre

Área Ciência, Tecnologia e Comunicações
Valor R$ 670.000,00
Município Alegre, ES

Descrição do projeto: 

O principal objetivo é implantar no Laboratório de Energia da Biomassa (LEB/UFES) uma central analítica especializada nos processos de secagem e torra do café e dos gases emitidos por esses processos. Essa implantação, permitirá o atendimento a todo o público externo, compostos pelos envolvidos na cadeira produtiva do café, mas com foco nos produtores rurais, visando a sua qualidade de vida e a fixação mais incisiva do homem no campo. Assim, podemos elencar como objetivos específicos: i) Atender produtores de café que realizam a secagem e a torra do café; ii) Propor novas tecnologias para minimizar as emissões gasosas de particulados; iii) Conduzir projetos de pesquisa e extensão junto a produtores rurais empreendedores do café; iv) atuar junto a órgãos ambientais em medidas públicas para monitorar e zonear as regiões mais propensas a moléstias respiratórias decorrentes dos processos de secagem e torra do café. Com a pandemia, o olhar tem sido atento ao fato de que a saúde das pessoas é muito importante. Algumas práticas que parecem não causar prejuízos, ao longo do tempo têm mostrado o quanto agridem a saúde das pessoas. Podemos e devemos alterar esse cenário, com perspectiva de tornar o Estado do ES o mais sustentável. O Governo Estadual, por meio da FAPES, tem incentivado a ciência e tecnologia por meio do lançamento de diversos editais de auxílios financeiros. Assim, como percebemos o engajamento de alguns políticos na Ciência & Tecnologia do Estado. Podemos deixar o nosso legado, ao auxiliar a principal atividade econômica dos capixabas.

Metas: 

i) Estabelecer uma unidade física para atendimento aos produtores de café do ES especializada em qualidade do café.
ii) Prestar serviços especializado e de alta performance ao homem no campo em atividades ligadas a qualidade do café e poluição atmosférica.
iii) Fazer o zoneamento das regiões que mais necessitam de assistência técnica em função da secagem, torra e qualidade do café.
iv) Colaborar com informações técnicas que possam ser utilizadas por órgãos ambientais em medidas públicas para monitorar e zonear as regiões mais propensas a moléstias respiratórias decorrentes dos processos de secagem e torra do café.
 

Resultados esperados:

O desenvolvimento desta proposta, auxiliará a cadeia produtiva dos plantadores de café quanto a melhoria da eficiência energética dos processos de secagem e torra do café e da redução de gases e materiais poluentes. A correlação entre as secagem e torra do café vs emissões de efluentes atmosféricos e poluição atmosférica, será elaborada para que as atividades produtivas possam ser adequadas e a qualidade de vida melhorada. Em cenário futuro vislumbra-se que os produtores avancem significativamente, no quesito produtivo multiplicando a variedade de produtos para os diversos tipos de consumidores. Isso irá contribuir significativamente com o ambiente e com a saúde humana.
É evidente a relevância do desenvolvimento da proposta aqui apresentada, diante das inúmeras possibilidades de contribuição a sociedade por meio de resultados esperados e o aperfeiçoamento da cadeia produtiva da produção de café, além dos seus efeitos sobre os produtores rurais e sobre o ambiente. Todavia, após o estudo, será possível uma comparação mais efetiva com os dados disponíveis na literatura, já que no Brasil, esta temática é pouco investigada, e novos estudos serão mais facilmente conduzidos. Entre esses aspectos, espera-se ainda que os resultados:
• Afetem de forma imediata, mediata ou a longo prazo, a qualidade dos diferentes ecossistemas, presentes nos compartimentos ambientais ar, água e solo pela produção sustentável de café e redução de efluentes atmosféricos poluentes;
• Contribuam com o surgimento de novos segmentos e indústrias com base na produção de café de vários tipos, adequando ao consumidor, proporcionando desenvolvimento social e geração de emprego e renda;
• Determinem as variáveis mais efetivas sobre o processo de secagem e torra do café e as relações com possíveis contaminações que poderiam resultar em doenças crônico respiratórias aos consumidores a médio e longo prazo, bem como potencialmente possam prejudicar a saúde ocupacional, a segurança e o bem-estar de populações envoltas;
• Proporcionem melhores entendimentos do processo de secagem e torra do café e do estudo aprofundado dos efluentes emitidos, da sua geração e contaminação e da melhoria das condições técnicas dos produtores por meio de práticas de extensão e maior contato entre a Universidade e comunidade; e,
• Contribua com novas tecnologias de secagem, torra do café e do monitoramento dos gases emitidos e da qualidade do ar.
 

Beneficiários:

A cultura de café é a atividade agrícola mais importante para o estado do Espírito Santo, presente na maioria das cidades capixabas, exceto Vitória, cerca de 60% das propriedades rurais do estado realizam atividades relacionadas à cafeicultura, o que corresponde a aproximadamente 131 mil famílias (INCAPER, 2021). Dessa forma, a execução dessa proposta tem potencial para abranger toda a cadeia produtiva do café, atingindo pequenos, médio e grandes cafeicultores capixabas, presentes em todo o estado do Espírito Santo. Os produtores de café serão atingidos por meio de projetos de extensão realizados pela equipe do Laboratório de Energia da Biomassa (LEB/UFES), em que após verificados os tipos de biomassa e tecnologias de secagem e torrefação do café, serão instruídos quanto a melhor forma de se realizar a melhora desses processos visando alcançar uma melhor eficiência aliada à menor emissão de gases poluentes.